sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Um presente

Ao ouvir as batidas na madeira, ela era a última pessoa que esperava encontrar do lado de fora, no calor úmido, doce e escuro. Trazia um ensopado ou algo assim, segurava a panela de barro com um pano cheio de padrões que eu já havia visto. O aroma era delicioso, mas não sei dizer com certeza se era do ensopado. "Um presente", insinuou (com subtexto gaiato), e debruçou-se na janela como que esperando alguma coisa acontecer: um fenômeno da natureza, sei lá. "Quem é você, de verdade?"

Nenhum comentário:

Postar um comentário