domingo, 11 de novembro de 2012

Macia

Abracei-a de leve, contando as gotas de chuva na calçada, marcando o ritmo assim. Eu não a conhecia pra valer, nem ela a mim. O que tinha passado entre nós não era nada de maluco ou uma porrada no coração, muito menos o que eu imaginei que seria quando a vi pela primeira vez. Mas dividir aquele momento, não sei, sim que era importante e disso eu sabia. Soube na hora. Tem aquelas pistas que você não consegue perceber sozinho, tem outras que são mais elefantes alpinistas do que propriamente pistas. Ela me deu um beijo na bochecha para depois se encaixar no meu ombro, quente. Macia.
- E aonde você quer chegar com essas andanças? – Ela pensou.
- Talvez eu tenha acabado de chegar, e você também. – Eu pensei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário